E eu aqui comendo batata nosete no navio…

foi a única opção que eu tive neste fim de ano, bitch

foi a única opção que eu tive neste fim de ano, bitch

Por L’Andreis*

Na semana que vem e usando apenas um cartão de crédito sem limites, parto rumo à Terra do Fogo. Não, bicha! Não tem nada de quente ou infernal por lá. É um lugar bem friozinho até. Tem pingüins e geleiras e aquele clima europeu que nós aqui do sul conhecemos bem (não hoje que fez um calor Saara total, e eu não pude nem colocar o pé pra fora da limu).

Decidir o que fazer em minhas férias sempre é um problema. A busca do phino me manda fugir do hype (pelamordedeus!), então a Islândia fica pra quando eu puder dizer “agora eu acho legal, quando todo mundo gostava, eu não suportava”, assim como eu fiz com Belle and Sebastian.

Meu irmão menor tomou a decisão de estudar na Espanha e visitá-lo seria ok se eu não tivesse que dividir a parte de trás do avião com a turma da CVC. Nem me fale no país do Obama (lindo! Tesão! Bonito e gostosão – amo além da phinesse). Novo rico acha “tudibom” passar o natal em Nova York. Eles acham que lá é a terra do Mickey Mouse vestido de Papai Noel. Não sou a favor. Já a Ásia desgastou com a Olimpíada e Lost in Translation.

Então optei pelo mar. Não existem cruzeiros com menos de quatro estrelas, e uma cabine owner de um amigo de papai estava à disposição. Neste momento, estou escolhendo vestidos online para levar. E, digo, phinos, nenhuma norueguesa peituda vai me bater no meu longo verde esmeralda.

Claro que tem um ladinho brega no navio. Aquela coisa “estou no Caribe”. Exatamente por isso vamos conhecer as Ilhas Falklands e o estreito de Magalhães. Nenhum dançarino de lambada estará na minha festa.

Mas ainda sobra o navio em si que na ânsia de ser luxuoso cai naquela coisa Dubai. Muito ouro, muito brilho. O cassino até parece uma supernova. Mas não se preocupem, phinos, não estarei perto desses adornos dourados e já reservei meu chapéu de cetim chocolate para me proteger dessa radiação toda.

Pois bem, toda essa frescura é pra dizer que as próximas colunas vêm por internet a rádio do alto mar. Vou contar se houver alguma solteirona esquisita, um bom partido ou groupies de pingüins da terceira idade. E falarei mal pelas costas com vocês aqui. Pois, na frente (quem não sabe?), é de péssimo gosto.

ps: vocês viram Gossip Girl hoje? O que é a Serena sendo má? Se o lesbian chic não fosse coisa de funkeira hoje em dia, teria uma queda por ela do tamanho de Manhattan.

* Nascida em berço de ouro na Serra Gaúcha, L’Andreis fugiu de um concurso de beleza do qual participaria durante a Festa da Uva. Sua mãe nunca a perdoou, mas, apesar da mágoa profunda, não perde nunca a coluna da filha neste wikiphino, sempre às quintas, seja do além-mar, seja de onde estiver.

4 Comentários

Arquivado em L’Andreis, muito phino

4 Respostas para “E eu aqui comendo batata nosete no navio…

  1. Está levando a sua arma? Por favor, não hesite em usá-lo ao menor sinal de uma bicha com chapéu panamá… I’m so, mas soooo over that. That’s sooo… (muito, mas muuuito medo desse cruzeiro, para uma moça phina, todo cuidado é pouco.)

  2. l´andreis

    Estarei atenta.
    Câmbio.
    =)

  3. E o gato Santino vai ter direito à férias também ou vais deixá-lo sozinho bebendo cosmo ao pôr-do-sol do Guaíba? 🙂 Aliás, sobre esse papo de Islândia, lembrei da canina Björk.
    Bisous!

  4. L´Andreis

    Santino ficará com os caseiros. Já Bjork estará em Jurerê Internacional provavelmente mais morena que eu.

    A peluda mandou uma lambida pra você! =)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s