Em Busca do Phino na revisão ortográfica

Mesmo de cisne é phina porque tem trema no nominho

Mesmo de cisne é phina porque tem trema no nominho

Por L’Andreis*

A biblioteca do vovô era uma diversão para L´Andresinha em Little Italy. Entre clássicos infantis, que já tinham sido lidos por meu pai e tios, havia ainda deliciosos almanaques. Cultura inútil sempre me seduziu, e eu ficava lá decorando coisas que nunca me serviram para nada, mas foram muito prazerosas como primeiras leituras.

O cheiro de livro velho ainda é um odor da felicidade por aqui, mas o encanto principal daqueles almanaques era sua acentuação diferenciada. A palavra flor, por exemplo, recebia como adorno um circunflexo.

Meu avô escrevia deste mesmo jeito, tendo ainda mais trabalho na máquina de escrever. E eu achava lindo aqueles enfeites, aquele certificado “sou do tempo em que flor levava circunflexo”. Os velhos da minha família sempre foram mais refinados e cultos. Nunca se viu meu avô de camiseta, por exemplo, e muito menos com barba por fazer.

Pois agora, a tal revisão ortográfica, que serve para deixar a língua portuguesa mais homogênea em todos os países que tiveram a desgraça de terem sido colonizados pelos padeiros suados, me dá essa chance. Minha phinesse tem um adendo. Resistirei.

O trema, tão nórdico, vai continuar resfriando a conseqüência. A minha idéia será abrilhantada com o acento agudo. Mesmo quando o Word estiver avermelhando minha grafia clássica, antiga, do tempo do trema, não cederei.

Quando os teclados deixarem de trazer esses mimosos acentos, serei a primeira a buscar, em um antiquário, um da minha época em bom estado, e, agregando ainda mais pontos à minha phinesse, incorporarei, como um personagem de “Os Maias”, também o trema facultativo da antigüidade.

*L’Andreis queria ter nascido na Dinamarca com estilo Tieta de volta ao agreste: magra, loura e rica, mas isso não gerou nenhum problema de auto-estima. Sabe que a morenica é bem atrativa por lá. Nas quintas, aparece por aqui com seu texto escrito com teclado antigo e salto quinze.

8 Comentários

Arquivado em escrita phina, L’Andreis

8 Respostas para “Em Busca do Phino na revisão ortográfica

  1. E vamos botar trema na lingüiça. U-hu!

  2. É por isso que eu prefiro e estudo o idioma alemão…

  3. Caroline Andreis

    hahsahshasa

    uma vez deixei de gostar de um garoto porque ele foi servir “um churrasquinho” e ofereceu “uma lingüicinha”.

    sem palavras.

  4. Thielli

    Seu avô era um gentleman. Nada mais a declarar… beijos!

  5. Caroline Andreis

    =)
    obrigada, Thielli.
    Era mesmo uma grande figura. Talvez escreva sobre ele um dia desses por aqui.

  6. tati

    e a minha mãe, que herdou o Thesouro da Juventude? phina, ela.

  7. Caroline Andreis

    Guarda isso. Thesouro é muito phino.

  8. igor

    que escrita poética… é por isso que sempre resistiremos à padronização! 🙂

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s