Capítulo 1: a falta de elegância no comportamento

eu fui, vem comigo

eu fui, vem comigo

Por Rafa*
(Direto de Berlim)

Acabo de chegar da balada, mais exatamente do Café Zapata, balada suspeita de Berlim, daquelas que eu adoro, vocês bem sabem, não, phinos amados? Já falo sobre a balada.

Na real, neste exato momento, estou chocado com a falta de elegância de certos berlinenses. Enquanto tomava meu brunch pós-balada, jovens bens vestidos me intrigavam. Nada de boné, cueca aparecendo e as coisas que eu não aceito dos mais novinhos atuais. Certeza que eu observava pessoas que assistem a Gossip Girl. Todos muito bem vestidos, com calças de bom corte e camisas alinhadas. Pensei: aqui a busca pela phinesse acabou há tempo. Fato.

Bom, foi só eles começarem a falar ALTO que eu me arrependi dos meus pensamentos. Ai, gente, eu não mereço. O moço mais bem vestido -melhor que eu, inclusive- de repente faz de seu i-Phone um cinto, com os seguintes dizeres: **eu sou foda**. Tipo, ele fez de seu i-Phone uma fivela, com o objetivo de propagar a breguice. Francamente. É o típico comportamento que eu não aceito. Conclusão: a juventude, longe dos seriados, está perdida, definitivamente. E não estamos falando de Cris F., que foi phina um dia em Berlim.

Ainda bem que passou.

Pois bem, a questão é a seguinte. Desde que deixei o Brasil, a coisa que mais me choca é a falta de compromisso estético das pessoas, principalmente no embarque internacional, suposto local de gente de bem(s). Nada contra os mochileiros, acho digno, principalmente supondo que as pernas deles sempre ficam melhores depois de viajar. Porém, eu sugiro a criação de um embarque especial para hippies, mal vestidos e pessoas com mochilas de alpinistas nas costas, vocês não concordam? Cada um com seu cada qual. Não acho justo investir num modelito de Carla Bal enquanto espero meu vôo da Swiss Airline ao lado de quem não entende o meu glamour.

Nada contra o barateamento das passagens. Mas vamos priorizar a beleza, vocês não concordam, phinos amados? Claro que sim.

O que importa é o meu bom exemplo aqui na terrinha de Hitler. Comecei bem o dia almoçando num Biergarten à beira de um lago dentro do maior parque da capital alemã. Em seguida, me joguei num Apfelstrüdel num café chique, muito parecido com os melhores de Buenos Aires. Voltei pro meu hotel, muito bom, por sinal, depois eu passo o endereço, e descansei. Após a sesta, me atirei sem medo na pista do Café Zapata (www.cafe-zapata.de).

Dancei gostoso em cima da mesa e juro que não perdi a classe.

Vocês não estão morrendo de orgulho de mim?

Eu sei que vocês me amam.

Beijos, Brasil. A aventura está só começando.

*Rafa não estará participando da São Paulo Fashion Week nem da maior parada do orgulho gay mundial, chinelagem que acontece anualmente na capital paulista. Prioriza a beleza e o glamour em qualquer lugar do mundo que visite e escreve aqui às segundas.

Anúncios

9 Comentários

Arquivado em correspondente internacional, festas phinas, lugares com PH, Rafa

9 Respostas para “Capítulo 1: a falta de elegância no comportamento

  1. Agora, confessa, não vai dar pra usar o modelito Carla Bal com essa calorão, né? Aqui está um forno.
    Se der pra esticar um fim de semana, vem pra cá. Garanto que NÃO vai te arrepender, se é que me entendes.
    bjão

  2. Di

    Coisa bem boa Rafa!!!

    Aproveita bem aí e mostra para esse gente que no Brasil tem pessoas phinas…

    😉

    Abração

  3. viagem […] que maravilha!

    aproveita muito aí moço phiníssimo!

    bjins

  4. MsRiverside

    É, Rafa, foi-se o tempo em que viajar de avião ao lado de um bonito era uma boa…foi-se a phinesse e o perfume francês nos aeroportos. Chegou a era do “amor gaúcho” e havaianas…que horror!

  5. Colega maluca 1

    Seguinte, rafa.. Nunca pensei em defender minha própria Phinesse, até porque to sempre desconfiada de sua existência, mas aqui estou. Tem coisa muito mais feia e nojenta que mochileiros no embarque internacional, querido.. Sim, eu sou mochileira, mas do tipo que faz questão de ir a certos lugares bacanas (exatamente como vc descreveu…). E foi lá que vi as coisas mais horrorosas.. Nas minhas próximas férias, juro que te enviarei bons exemplos de como viajar de mochila e não parecer um turista americano em um safári!

    • Querida Colega Maluca 1,

      a solução por mim apresentada só ajudaria iguais a se encontrarem com mais facilidade. Nada contra mochileiros. Só me deixa fora dessa. Mas, dependendo do shape, pegaria um fácil.

      Sem mais.
      Rafa

  6. Concordo com a CM1. Dá pra mochilar com estilo. Dá pra pegar o T1 com estilo. Dá pra dormir no sofá com estilo.
    Boa viagem, queri.

  7. Roupa Velha

    Traz presente!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s