Seguir a lei no Brasil é um ato de masoquismo

O da frente é o contribuinte. O de trás, o Estado Brasileiro. Obviamente, uma conjunção anal

O da frente é o contribuinte. O de trás, o Estado Brasileiro. Obviamente, uma conjunção anal

Por O Outro Lado*
(Em Busca do Feno)

Fazer um sexo anal durante a tarde agora poderia ter, com Justiça, outro nome. A proposta para a conjunção carnal que contraria a natureza poderia ser um VAMOS FAZER UM AGACIEL, se for entre o meio-dia e as 18h30.

Pois explicando aos normaizinhos que não acompanham a crise administrativa do Senado, Agaciel Maia construiu um anexo à sua sala que servia de local para abates vespertinos. Entre o material apreendido havia dezenas de pacotes de lenços de papel, um KY pela metade (aquela gosminha que torna a coisa mais fluída) e um DVD chamado TARDES MOLHADAS. Várias manchas comprovavam os atos secretos. A dúvida era o que exatamente acontecia.

Eu poderia parar de escrever aqui. Acabou. Não tem mais o que fazer. Em plena maturidade democrática, não há mais nada que se possa inventar em matéria de falcatruas pitorescas. E o clima todo no Senado Federal depois das denúncias, segundo se ouviu hoje na CBN, é de que todos tratam a coisa como galhofa. “Se acharem mais um DVD abro sindicância”, disse o responsável, nem aí pra nada.

As leis são feitas em um lugar em que foi construído uma salinha de abate. Isso indica muito bem o que já se sabe há algum tempo: seguir lei é bobagem. Coisa de otário ou masoquista. Chupa, povo. Ou abre atrás que lá vem rola.

Foi mais ou menos isso que aconteceu comigo nesta tarde. Passei com louvor no teste de saúde. Enfrentei com resignação quase uma hora de fila no banco. As taxas somaram R$ 138, 46, incluindo estacionamento. E não consegui nem entrar com pedido de renovação de uma simples carteira de motorista. Motivo: fiz a prova de primeiros socorros e direção defensiva no Detran de outro Estado. Para transferir prontuário, preciso de uma auto-escola. A auto-escola precisa que eu pague curso e prova pra que ela fique mais rica. A auto-escola pode mais que eu.

KY no meu rabo. Nem o ar-condicionado da salinha do Agaciel eu mereci: minha tarde foi molhada de suor. O que isso tem a ver com phinesse? Eu já não disse e repeti que isso não existe no Brasil?

*O Outro Lado cumpre leis e regulamentos, baita trouxa que é.

Anúncios

5 Comentários

Arquivado em É o Brasil!, Em Busca do Feno, O Outro Lado

5 Respostas para “Seguir a lei no Brasil é um ato de masoquismo

  1. Que Ky, que nada…o governo bota nosso todo dia, à seco, e nem ao menos paga um jantar antes…

  2. É, garoto, acho que tu foi otimista demais quando escreveu “KY no meu rabo”…

  3. MsRiverside

    C’est un bordel…

  4. É, colega, os leitores acima têm razão: foi a seco mesmo, que KY é prerrogativa dos abates do Agaciel.

  5. Comentário 2:
    Respondendo publicamente à pergunta recebida individualmente pelo msn: o desenho não é meu não! Só desenho coisas de garbo e elegância.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s