Em busca do amor

Juro não ser mais um bobão

Juro não ser mais um bobão

Por Rafa*

O telefone toca na redação, e eu atendo. A voz lá do outro lado gagueja. “Sabe o que é”, me diz o moço, “é que eu queria falar com a Revista X”. Ele está muito tenso, então, bate uma peninha. Logo, sou todo ouvidos, porque, vocês sabem, eu não resisto aos desamparados que pedem ajuda.

Ele me explica melhor: “É que uma moça ligou aqui em casa atrás de mim, e eu acho que ela tava respondendo ao anúncio”. Eu não compreendo nada e pergunto: “mas que anúncio senhor, não estou entendendo”.

Então ele me confessa que havia escrito para a seção “Corações Solitários” da tal revista e que uma moça tinha ligado pra ele em resposta, mas ele não estava presente naquele momento para atendê-la. Finalmente, fez sentido seu sofrimento e o motivo do gaguejar. O moço queria saber se não tinham como passar o contato da pretendente.

Gente, me deu um aperto no peito.

Tentei localizar a Revista X. Expliquei pro coração solitário que eu não podia fazer muito por ele, pois trabalhava no Jornal da Phinesse. Consegui o ramal da seção “Corações solitários”. Enquanto o homem desamparado aguardava na linha algum sinal de vida da minha parte, eu explicava a situação dele para os jornalistas da Revista X, que riam do pobrezinho enquanto eu descrevia o seu desespero. Eu não achei a mínima graça.

Como eu tinha que trabalhar, passei a ligação do moço para a Revista X, sentindo tanta dó do senhor, que meu olhos se encheram de lágrimas e só não me lavei chorando na redação porque bichice tem limite.

Ok, vocês que me conhecem vão dizer que é normal, que eu ando sofrendo, que as coisas não têm dado muito certo pra mim quando o assunto é amor. E que por isso a história do pobre homem me emocionou.

Pode ser.

Mas é mais. Porque é tão doído ver histórias como essa acontecerem. Pensem comigo: deve ser um tiozinho que não tem acesso à internet e, portanto, não pode ter um perfil no “Almas Gêmeas”. Mas ele deseja muito achar uma companheira para dividir sei lá o que e, por isso, anuncia sua vontade de um encontro no jornal de papel, coisa muito comum no tempo dos nossos pais.

O que teria esse homem para oferecer? Sua tristeza, talvez. Alguns carinhos. Ou quiçá ele só queira mesmo alguém para conversar de vez em quando, dividir a cama. Daí não se sentiria tão sozinho.

Desejo toda a sorte do mundo pra ele. Porque pior que não ter a quem amar é amar e não ser correspondido. É perceber e sentir a possibilidade de amor e não poder dar seguimento. É ter vontade de forjar jantares, simular ambientes… E ficar só na vontade mesmo. É querer ligar e não poder. É pensar que vocês poderiam ser tão felizes juntos. E ficar só no pensamento.

Muito pior é não ter direito a um “não” ou a alguma outra mentira sincera qualquer. Porque os corações precisam ficar solitários, vazios e sem esperanças. Para que uma ligação te pegue de surpresa uma hora dessas, numa tarde de domingo qualquer. Ou alguém bata no teu ombro e faça tu enxergar as coisas de uma forma inédita. Só então a palavra amor poderá renovar o seu significado, para que tudo isso faça algum sentido mais uma vez.

rafa_avatar *Rafa remou, remou e morreu na praia. Atende a seus leitores aqui, às segundas. Nos outros dias, cura sua dor de cotovelo, ao som de Tim Maia, em seu apartamento novo.

9 Comentários

Arquivado em diálogos com PH, lição de vida, Rafa, sentimentos phinos

9 Respostas para “Em busca do amor

  1. Talvez este seja um dos mais profundos posts teus. Torço para que o titio localize a sua amada, embora eu certamente começasse a rir se ouvisse o teu relato ao telefone. Remar e morrer na praia é bom, e tendo um não, um sim, ou um silêncio sabes que isso pq gato, o teu coração pode estar camuflado, mas ele não é solitário.

  2. Só não me lavei chorando na redação lendo este post porque bichice tem limite.

  3. colega maluca 1

    lindo, rafa!

  4. Maeli

    Vou ouvir Tim Maia agora em homenagem ao seu post 😉

  5. leo

    gente, cade meu álbum do “amar é” pra folhear na cama ouvindo “crying in the rain” (a original, óbvio)???

  6. “Porque pior que não ter a quem amar é amar e não ser correspondido. ”
    Há de ter tristeza pior que não ser correspondido. Sempre tem. No amor, não há limite pra dor e pra felicidade. É ruim, mas é bom.

  7. me identifiquei com:

    “as coisas não têm dado muito certo pra mim quando o assunto é amor”

    força rafa!

  8. Di

    *Rafa, mostra que é uma pessoa boa de coração aqui, todos as segundas!

    ADOREI!

    Abraçãoooo

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s