365 Dias sem Ele

Joseph Gordon-Levitt, miliga, pls

Joseph Gordon-Levitt, miliga, pls

Por Rafa*

Paixão nova é bom. Dá vontade de acordar mais cedo pra ver a vida, se preparar para o que pode acontecer mais tarde, suspirar, esperar, respirar melhor. Até sofrer de mansinho tem o seu charme. Já paixão velha é um saco. É a certeza de que o que não veio até agora não vai vir. É esperar por tão pouco. E bate aquela vontade de não sentir mais e ficar pra sempre na cama.

Conversava com uma amiga dia desses sobre o filme “Amantes”, um dos melhores do ano. No longa, Leonard (Joaquin Phoenix) se apaixona pela vizinha Michelle (Gwyneth Platrow), que, na boa, só dá uns pegas nele porque o cara dela é casado e não dá o valor que ela acha que merece. Sandra, a personagem de Vinessa Shaw (phina!), é quem paga o maior pau pro Leonard, que só dá uns amassos nela porque os pais da moça estão prestes a fechar negócio com a família dele.

No final, Michelle, que quase larga tudo por Leonard, o abandona e o cara acaba ficando com a outra que lhe restou. Porque era a que tinha. É tocante ver ele dando o anel que havia comprado pra Michelle para Sandra, a mulher que sobrou pra ele. Triste, triste, como a vida.

Essa minha amiga nunca se apaixonou daquele jeito que só os que já passaram pela situação sabem. Largar tudo por causa de uma pessoa? Mudar de país? Pensar em se matar porque não foi correspondido? Na cabeça dela, jamais. Isso, segundo ela, é coisa de gente doente.

Ela teve uma interpretação totalmente diferente da minha sobre o filme. Para a minha amiga, Leornard, no final, se dá conta de que Sandra é a única pessoa que pode fazê-lo feliz. Na minha avaliação e na das demais pessoas com quem falei sobre “Amantes”, a Leonard só resta a mais pura e dolorida verdade: ele ficou com a moça porque não havia outra opção. Era o que tinha “pra hoje”.

E é o que vemos por aí quase todos os dias. Pessoas que não se amam -e que, talvez, nunca tenham se amado- juntas, por conveniência, pra não ficarem sozinhas ou por pura preguiça. Não condeno. Mais fácil assim.

Outros, como eu e Tom (Joseph Gordon-Levitt), do filme “500 Dias Com Ela”, ainda esperam encontrar alguém legal pra poder dividir a vida. Ou já encontraram, mas não foram correspondidos –aí entra aquela parte da merda que pode ser a paixão.

Versão em inglês do trailer de “500 Dias Com Ela”, um oferecimento da vivi

“500 Dias Com Ela” tem ainda a fofíssima Zooeey Deschanel e trata a paixão de uma forma mais lúdica e não tão doída quanto “Amantes”. Nos traz alguma esperança e, no momento, phinos amados, fico com “500 Dias Com Ela”.

A paixão não-correspondida de Tom tem dia certo para acabar (500 dias). E com o fim, vocês sabem, vem a esperança, uma nova estação.

Amanhã, o EBDP completa um ano de vida. O início deste espaço coincidiu com uma paixão novinha em folha deste que vos escreve. Só que ela, um ano depois, ficou velha, desgastada, chata… São 365 sem ele, que não virá no próximo final de semana, nem no outro.

Mas fiquem tranquilos. Ainda não chegou a hora de aceitar qualquer coisa que aparecer por aí. Enquanto o meu Joseph Gordon-Levitt não aparece, sigo assistindo a filmes sobre e feitos com paixão. Pra tentar entender ela um pouco mais, pra não sofrer mais tanto assim.

Certeza que a nova estação em breve vai chegar. Torçam por mim.

*Rafa esclarece que a coluna de hoje é mera literatura e não tem ligação alguma com fatos ou pessoas reais. (Muito menos contigo, seu idiota!) Escreve aqui às segundas já faz um ano, com ou sem paixão.

12 Comentários

Arquivado em Rafa, ralaçã sã?, relaçã? sã?, sentimentos phinos

12 Respostas para “365 Dias sem Ele

  1. Luciana

    Adorei! Uma amiga minha teve a mesma interpretação que a sua amiga sobre o filme. E eu rebati que me recusava a acreditar que a vida tinha que ser tão chata. Um beijo.

  2. Caroline Andreis

    Já achei esse cara dos amantes um bobinho. Enfim, lets live and get loved.

    =*

    • Não seja assim tão má com ele, Carol… Ele bem que tentou, mas a vida não é justa, tu sabe bem. Conversamos melhor depois que tu assistir ao filme (tu vai amar).

      Bjs

  3. Ge

    “Amantes realmente é muito bom. Na verdade, a minha impressão é como a tua, e realmente a cena em que ele “junta”o anel, depois de ter jogado fora, pra dar pra outra, é muuuuuuuito foda……..acho que desde closer esse tipo de relacionamento não aparecia no cinemão mais comercial. Bom, aceito a dica dos 500 dias, to louco pra ver. Bjs, saudades.

    • Gê,

      saudades dos nossos papos sobre a vida, filmes e afins… Viu o trailer de “500 Dias com Ela”? É de chorar no cantinho de tão bom. Trilha com The Smiths, tem como não amar?

      Bjs

  4. Ge

    E parabéns!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  5. Di

    Rafaaa,

    Eu acredito sim em viver a vida toda, ou parte dela, ao lado da pessoa amada.

    Eu já encontrei a minha metade da laranja, mas tá demorando pra cair a ficha que pode ser que eu não seja a metade dele.

    Lindo post!

    Beijos

  6. mariellat

    obcequei também.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s