Phasion Rio

Taís Araújo e Thiago Lacerda para TNG no Fashion Rio

Taís Araújo e Thiago Lacerda para TNG no Fashion Rio

*Por L’Andreis

Aqui na redação do EBDP, eu sou atacada por olhares faiscantes quando digo que não gosto do Rio. Não tenho nenhum tesão pela galere de bermuda e chinelo, pela água de coco, pelos apês e casas que parecem as nossas em Floripa. Má claro que não sou estúpida de negar a importância desta cidade para nosso país varonil e tampouco da semana de moda que foi criada exatamente para exportar o [nosso*] modo verão de viver mundo afora, mesmo que seja na de coleção inverno.

As críticas ao Fashion Rio vêm exatamente da comparação do mesmo à São Paulo Fashion Week, maior evento de moda do Brasil, consagrado no calendário da América Latina e otimizador da exportação de nossos estilistas e roupas por aí. É importante lembrar que mais do que mostrar o hype e celebridades bem vestidas, essas semanas são organizadas para vender, e nisso temos que dar o braço a torcer ao Fashion Rio: a moda apresentada ali é altamente vendável.0

Desde as silhuetas, o Fashion Rio é diferente do SPFW. Seja nas primeiras fileiras, ou na lista de celebridades na passarela, o visual [saudável] está presente. Nada mais coerente. As praias cariocas não estão lotadas de modelos tamanho 34 e sim de moças com o bumbum mais próximo ao da Srta. Melancia do que ao da Gisele. Confesso que também estranho, mas, como representante da turma saudável, um lado meu canta Single Ladies e balança os quadris largos super contente com a inclusão.

Além disso, é tendência deixar de lado o esqueleto coberto de carne, pelas ancas e peitos grandes. A revista feminina alemã Brigitte, inspirada pelo patrocínio da Dove, a partir deste mês só imprime em suas páginas mulheres [normais] e sem photoshop. Na internet, uma pesquisa movimentou o twitter nesta semana. Nela, três mulheres com tamanhos 36, 40 e 44 competiram pela preferência dos internautas. A 44 ganhou. Então, não me venham falar do tamanho das bundas do Fashion Rio como se nunca tivessem visto mais gordas.

Outra crítica recorrente é à falta de glamour. Quem já saiu nas ruas no Rio sabe que isso não é o forte deles. Além disso, as marcas em desfile, são, em sua maioria, menores do que as apresentadas em São Paulo, com menos recursos para inovação e produção. O foco da semana também é mais o pret-a-porter de massa, isto é, aquelas roupas prontas pra usar que você vai encontrar em qualquer arara em um shopping próximo de você.

os homens preferem as gordas

os homens preferem as gordas

A questão é muito simples: não podemos exigir do Rio o que ele não pode nos dar. Bora rolar na areia de havaianas e biquíni Salinas e tomar uma rodada de suco com a galera e Oscar Metsavah sem dispensar o Sushi Leblon com bastante [hot philadelphia] que, como diria a poeta Shakira Isabel Mebarak Ripoll, [hips don´t lie].

*Nosso quem, cara pálida? Guaíba não é praia. Fik Dik.

*L’Andreis não gosta de caipirinha nem de carnaval, mas fica acordada até de madrugada pra assistir o Gala Gay porque sabe o que esse país tem de melhor. Mexe as cadeiras toda a quinta aqui e sempre no twitter (@carolandreis).

6 Comentários

Arquivado em É o Brasil!, L’Andreis, moda versus phinesse

6 Respostas para “Phasion Rio

  1. Recordar é viver:

    “Minha teoria é que mulher que não vai à praia embagulha. Simples, qual gaúcha, que passa metade do ano sob baixas temperatura, vai cuidar da forma se não sentir pavor de ficar de biquíni em público? Praia é pior que nudez. Sempre se pode contar com a meia luz na exposição íntima, mas não existe o que se oculte sob um sol do meio-dia e o reflexo da areia.”, afirmou em 26/12/2008 SextaSessão.

    É pra isso que serve o Rio. Pra nos incentivar na beleza corporal. Duvido que alguém pense na opção de não malhar depois de passar uma boa temporada no coqueirão perto do posto 9, que aliás, tem quase nada de carioca, só gaúcho e paulista tinindo de tão gostosos.

    E se eu pudesse escolher apenas alguma coisa do Rio, me pergunta a phina. A respota é óbvia, beleza natural: um bofe gostoso jogador de futevôlei. Desculpa bi, mas só o Rio tem e só o Rio faz. Não há academia pra gostusora natural de carioca…

    (suspiros ao lembrar)

  2. Dgeintein! No dia em que eu chegar na forma dessa moça do 40, vou vestir 36! E o NÚMIRO dessa primeira esqueleta mentirosa não deve passar dos 28.
    Quel horreur. Ou, como diria L’Andreis, comunistas!
    E, falando em moda, aqui do lado de cima dos trópicos, a moda brasileira é suuuucesso. Não temos todo o glamour que os estilistas europeus prezam, mas esbanjamos diversidadge e sensualidadge, cousas que o povo daqui ainda tem muito que aprender.
    Besos!

  3. maria madureira

    36, 40 e 42. 44 é 16 em UK.

  4. Caroline Andreis

    merci, mm.
    nosso editor irá fazer a troca em breve.
    sempre um prazer ter você por aqui.
    bj

  5. sophia

    concordo com a dani q os tamanhos são meio esquisitos… mas pra mim, a escolha da mais “gorda” da foto se deu principalmente pela pose da modelo. ta bem mais atraente do q a modelo do meio, q parece q ta num anuncio de calcinha confortavel (e nao sexy)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s